Primeiro que tudo deixar já bem claro que o meu objetivo é fazer uma crítica construtiva e não destrutiva! O tema que trago hoje pode ser algo diferenciador e tem por base a fase de construção da equipa do Benfica quando se encontra em Organização Ofensiva com dois jogos em foco vs Fenerbahçe e vs Vitória de Guimarães.

Na fase de construção que idealizo existem alguns comportamentos que demonstramos durante o jogo com o Fenerbahçe, que para mim não fazem qualquer sentido, numa equipa que passará 80%(!!!) das competições internas nesta fase do jogo.

Passo a explicar:

  • Para o Benfica conseguir ter uma saída em construção limpa nunca será necessário ter superioridades numéricas de mais do que 2 jogadores perante os que o adversário nos opõe, ou seja, se existir pressão de 1 adversário chega que os 2 centrais para garantir que conseguimos sair com critério e objetividade. Logo seria sempre nestes moldes, 2 vs 1, 3 vs 2 e por aí adiante. Este é o primeiro problema pois como o vídeo poderá comprovar por vezes o Benfica sabe exatamente o que fazer e outras faz tudo completamente errado e aqui existem várias questões: O modelo não está trabalhado neste sentido? As individualidades escolhem o que fazer? A confiança altera-se de competição para competição?
  • Com as dificuldades acrescidas na construção todas os outros momentos ofensivos do Benfica estão comprometidos , pois a bola nunca chegará a zonas mais adiantadas do campo em condições para que se possa jogar e fazer jogar a equipa( Ferreyra tem sido o jogador mais castigado neste capítulo!!!).
  • Progressão dos centrais com bola, o vídeo compara a fase de construção entre o jogo do Fenerbahçe e do Guimarães, como poderão comprovar a diferença é abismal e todos nós podemos claramente afirmar que a 1ª parte do jogo do Guimarães foi bem diferente da do jogo com o Fenerbahçe e a primeira grande mudança está aqui, na capacidade dos centrais progredirem com bola e chamarem jogadores da linha média adversária a defenderem mais alto abrindo os tais espaços crucias que mais a frente falarei.
  • Espaços cruciais a conquistar para uma equipa que está em 80% do seu tempo de jogo com bola, existem no meu entender três etapas fundamentais:
    • 1ªetapa: Espaço nas costas da 1ª linha defensiva
    • 2ªetapa: Espaço nas costas da 2ª linha defensiva
    • 3ªetapa: Espaço nas costas da 3ª linha defensiva
      • AS ETAPAS NÃO PRECISAM DE SER CUMPRIDAS A RISCA! O importante é conquistar os espaços com a maior fluidez e qualidade de jogo possível.

1 etapa

Segue o vídeo:

 

Ficam as três questões mais pertinentes para responderem em comentário:

  • O modelo não está trabalhado neste sentido?
  • As individualidades escolhem o que fazer?
  • A confiança altera-se de competição para competição?

 

P.s: Como foi um tipo de post diferente, gostaria de saber o vosso feedback e se gostariam de ter sempre uma análise semanal das prestações do nosso Benfica!

Abraço Glorioso.