Análise, João Carvalho

João Carvalho – a nossa não esperança

Deixámos aqui a pergunta sobre quem poderia substituir Krovinovic. Apesar de haver muitas alternativas, como explicámos aqui e aqui, a maioria de vocês optou por João Carvalho.
PollKrovi
Já em outubro (aqui) e em dezembro (aqui) havíamos falado das qualidades de João Carvalho e nos questionávamos porque é que o português tinha menos minutos do que Keaton Parks por exemplo (aqui).
Pois bem, chegou a hora de João Carvalho se impor a titular da equipa dos seus sonhos e mostrar a todos a qualidade que muitos nem sonham que ele possui. Se sempre defendemos a titularidade de Rúben Dias, por exemplo, e já aí tínhamos bastantes certezas de que o central português seria capaz de se impor (fosse a jogar à esquerda ou à direita do centro da defesa), com João Carvalho, eu pessoalmente, tenho ainda mais certezas de que tudo correrá como quase ninguém espera – para melhor claro.
João Carvalho é o melhor jogador a sair do Caixa Futebol Campus desde Bernardo Silva. Inteligência, visão de jogo, capacidade de driblar e ludibriar adversários, rigor tático, capacidade de remate, capacidade incrível de ler o jogo sem bola e conseguir roubá-la, tudo isto num jogador que daqui a menos de 2 meses fará 21 anos. Tal como dissemos que a Krovinovic bastariam alguns minutos para ganhar a titularidade (artigo de Junho!), a João Carvalho dizemos agora que no final da época todos estarão a rezar para que não seja vendido.
João ainda vai a tempo de assumir o meio-campo benfiquista e o Mundial na Rússia não é uma miragem. Talvez esteja longe ser titular no Mundial (sobretudo pelas políticas de escolhas de Fernando Santos), mas a convocatória poderá vir a ser uma “não-questão”.
Por agora, e o único ponto que nos interessa, é que assuma já a titularidade e possa contribuir para a conquista dos 3 pontos no Restelo que será um jogo bem mais difícil do que se pensa, sobretudo pelas mudanças que a chegada de Silas trouxe.
Com confiança, tranquilidade e um sorriso nos lábios, preparem-se meus amigos, pois uma estrela está a nascer. Força João, chocolate neles todos!

5 Comments

  1. Miguel F.

    No meu entender (com as limitações que tal encerra) não vejo o João Carvalho como solução (ainda) pela baixa intensidade com que joga.
    Krovinovic não revolucionou a forma de jogar do Benfica só quando ataca, ele faz inúmeras recuperações de bola e pressiona imediatamente (e eficientemente) a saída de bola do adversário, coisa que João Carvalho não faz, independentemente de estarmos de acordo quanto a toda a qualidade e criatividade no processo ofensivo.
    Internamente gostava de ver como Rafa se portava ao assumir esse papel, tem a garra e a qualidade necessárias, assim ultrapasse o que quer que seja que tem dentro da cabeça que o está a fazer passar ao lado da felicidade.
    No entanto, se querem mesmo lutar pelo Penta, penso que o Sr. Luís Filipe Vieira devia engolir um sapo e ir buscar o Manuel Fernandes à Rússia, tem tudo o que precisamos (raça, técnica, físico, remate, enfim, tudo!) e com o mundial à porta ã única potencial dificuldade seria convencer os russos a abrir mão dele.
    Cumprimentos, Miguel F.

  2. Edson Arantes do Nascimento

    Intensidade, garra, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla (porra que enjoo)…
    O miúdo vai fazer 21 anos e só não entrou mais cedo na equipa por causa destas parvoíces – até o Keaton Parks tem mais minutos do que ele. Claro, é calmeirão e supostamente tem muita intensidade (seja lá o que isso for)! O Miguel F. se calhar também dizia o mesmo do Bernardo Silva. Pura heresia! E digo mais: para mim, o João Carvalho até defende melhor e trabalha melhor do que o fantástico Krovi demonstrava quando entrou na equipa (entretanto melhorou bastante no posicionamento defensivo, felizmente, até porque é algo que se aprende nas calmas; já aprender a ter a bola no pé e saber o que fazer com ela é muito mais difícil).
    #EoJoãoCarvalhocaralho?

  3. Fernando Aguiar

    Não percebo. O João Carvalho não defende mas o Rafa defende? O Rafa? Eh pá, até eu que já defendi Rafa a “8” no 442 com que conquistámos o tetra tenho mais noção da realidade do que quem afirma isso.
    Não me parece que seja momento para inventar. JC é o herdeiro natural, JC entra no 11, não há espaço a grandes questões. Tudo o resto é para testar quando tivermos 4/5 golos de vantagem e estivermos na última meia hora de jogo. Ah, e para **treinar**!!!

  4. Miguel F.

    Então Pelé, já percebeu o que é intensidade? Ainda acha que para ser campeão é com um miúdo ainda em formação que é um molengão?
    Juro que não consigo perceber o coro de apoio de certos jogadores.
    Nem uma bola dividida ganhou…

  5. Ruben Pedro

    Caro Miguel F. estamos em sintonia (infelizmente). Também alertei aqui que J Carvalho era curto para substituir o Krovinovic. Do que tão à espera para colocar Cervi medio interior e Zivkovic na ala??

Deixar uma resposta

Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: