Análise, Liga NOS

Antes do Natal, ressuscitou!

O  Benfica realizou ontem uma das melhores exibições da época. Que a equipa sabe jogar bem, já o sabíamos, basta relembrarmos a 1ª jornada do Campeonato frente ao S.C. Braga por exemplo.
Na antevisão, quando amigos me perguntaram o prognóstico, arrisquei em 3-0, sabendo que não queria exagerar na previsão. Mas mais do que isso, estava convencido que a equipa iria saber reagir muito bem à (injusta) eliminação da Taça de Portugal.
Estamos no entanto a falar do Tondela, uma equipa que não tem as características que nos podem causar mais dificuldade. Não querendo desvalorizar a vitória e a exibição, há que ter consciência de que o grau de exigência era efetivamente reduzido e terá que servir de base para construirmos em cima disso.
O melhor Pizzi de volta aos relvados portugueses é uma boa notícia e poderá ajudar a conduzir a equipa para patamares mais condignos com os de uma equipa do Sport Lisboa e Benfica. Pizzi ajudou no pizzão, ressuscitou e esperemos que assim continue até final da época pois bem precisamos dele.
Destaque também para André Almeida, que já várias vezes conseguiu mostrar uma dimensão no seu jogo que não era habitual, em particular na relação com bola. Grande crescimento que tem tido, resta agora que também aconteça nos jogos com grau maior de exigência.
O melhor de todos ontem, Krovimodric. O croata tal como prevíamos antes ainda da época começar, mal começasse a jogar, ganharia o lugar e mostraria a todos o perfume do seu futebol. Top!
Jonas pareceu-nos cansado – claro que fez muita coisa bem, mas há pormenores técnicos que costumam ser perfeitos (como no 1º golo que marcou) e ontem teve mais erros técnicos do que é usual; Sálvio teve alguns pormenores que demonstram que afinal até sabe a cor da camisola dos seus colegas de equipa e pezinhos tem ele, só lhe falta mesmo pôr o cérebro a trabalhar; Lisandro não comprometeu e esteve bastante bem com bola; Fejsa foi um monstro como o é quase sempre – sempre que não é, não jogamos…; o flanco esquerdo esteve mais apagado do que esperava, mas inteligência em todas as ações a marcarem o seu desempenho; Varela começou a jogar mais curto, sendo em muito menor número as bolas que tentava longas do que as que começava a sair a jogar, o que se veio a refletir em todo o jogo do Benfica, tal como prevíamos. Jardel esteve bem, na linha do que tem feito nos últimos jogos.
Principais diferenças para os jogos anteriores?

  • Saímos mais vezes a jogar desde trás;
  • Ganhámos muitas bolas quando pressionávamos (mais demérito do Tondela do que um ótimo posicionamento do Benfica);
  • E acima de tudo, o número de toques que dávamos na bola quando tentávamos desestabilizar o Tondela foi muito menor. Se houve jogos em que cada jogador dava quase sempre 3 toques na bola, ontem, muitas vezes ao primeiro toque, a diferença foi abismal.

Que a alegria de jogar bom futebol tenha chegado novamente a todos os jogadores e estes façam para que aconteça mais vezes. Eles divertir-se-ão muito mais, nós ficaremos muito mais felizes e os resultados virão de certeza por acréscimo.
Pergunta para reflexão: até que ponto é que esta boa exibição contra uma equipa fraca poderá ser contraproducente para o futuro?

O que acharam do jogo?

4 Comments

  1. Benfiquista Primário

    ‘Forte com os fracos e fraco com os fortes’ ou o consolidar de um novo futebol no novo 4x3x3?
    Apesar de detestar o Mister Fezadas, devo dizer que nesta altura, inclino-me mais para a segunda hipótese. Até porque nesta época temos sido, em geral, fracos até com os fracos…
    Mas sobretudo porque, desde a entrada de Krovinovic e mudança para o 4x3x3, tem havido melhorias progressivas no nosso jogo. Tendo em conta que partimos do grau zero da indigência futebolística e que consolidar um novo sistema táctico demora algum tempo – ainda para mais com a época em andamento – até nem demorou muito a chegar ao futebol à Benfica que se viu com o Rio Ave e ontem, reconheça-se.
    Ontem o verdadeiro Pizzi voltou e isso faz uma grande diferença – embora talvez não tanta como Krovinovic…até Dom Salvio parece que descobriu de repente que o futebol é um jogo colectivo! Faz diferença ele ser envolvido (só) em fases mais adiantadas, poupando a equipa ao protagonismo que tinha na construção no 4x4x2 – tantas vezes era construção…de contra-ataques adversários – e guardando-o para a fase de finalização/preparação da finalização. Aí aproveitamos o que tem de bom – ataque à profundidade e golo…Dito isto, para mim continua a ser um escândalo que o titular não seja o Zivkovic. Mas já desisti…
    Grande jogo ontem, já tinha saudades de ver o Benfica jogar à Benfica! É certo que era só o Tondela e é preciso confirmar já no derby, mas havendo futebol, também há esperança.

  2. redwine

    Foi um jogo interessante mas, como ficou claro nos comentários anteriores, o Tondela não deu grande luta. Mais três ou quatro jogos e logo veremos se há consistência na aparente melhoria da equipa.
    Era agora uma excelente altura para apostar definitivamente no Svillar, no Rúben e no Zivkovic mas o RV já deve estar refém do balneário para mudar o que quer que seja.
    Vamos esperar pelo jogo com os pequenos do Campo Grande, que é o jogo decisivo para RV. Não vencendo, vamos ver se há coragem.
    Obrigado

  3. Bruno Costa

    Acho que fizemos uma grande exibição e prefiro olhar para o jogo de ontem como o ponto de viragem para o resto da temporada. O que já perdemos custou e abalou-nos, mas há que olhar em frente e ver o que ainda há por conquistar. Temos um Penta e uma Taça da Liga para ganhar. Posto isto, há que canalizar essa alegria resultante da prestação de ontem, agarrar nos melhores, pô-los todos no mesmo 11 e dar tudo.
    Aqueles 30 minutos no Dragão mostraram algo. A primeira parte de Vila do Conde também. Finalmente, ontem vimos algo mais presente ao longo de todo o jogo. Temos vindo a crescer ao longo dos jogos e isso só pode ser bom sinal.
    Destaque, claro está, para a entrada de Krovinovic no 11. Veio trazer muito critério e inteligência ao nosso jogo e, juntando-o a um bom Pizzi e Jonas, as coisas só poderiam melhorar. Ontem vimos grande dinâmica entre estes 3 jogadores. Abriram espaços, desmarcavam-se, recebiam a bola em zonas livres e entre-linhas, ou seja, desmontaram por completo a defesa do Tondela.
    Acho que é importante ver também como se comportou a nossa defesa sem Luisão. Houve tempos em que a presença de Luisão no 11 estabilizava a nossa defesa, principalmente o comportamento da linha no momento defensivo. Hoje, vejo que os jogadores que temos estão perfeitamente familiarizados com esse processo. Rui Vitória privilegia um quarteto bem subido, a encurtar a linha entre defesa e meio-campo e, como deu para ver, sem Luisão é capaz de funcionar melhor. Lisandro e Jardel não são centrais top, mas têm capacidade de reacção e alguma velocidade, o que não acontece com o Capitão. Gostava muito de ver esta defesa com Rúben Dias e Jardel e conto já com isso na próxima 4f.
    Finalmente, um destaque para Salvio. Fez tudo bem, a meu ver (talvez não tão bem num movimento interior em que preferiu rematar em vez de soltar no Jonas, que já se encontrava livre de marcação – good ol’ Salvio 🙂 ). A assistência para o segundo golo do Pizzi é simplesmente esplendorosa; o movimento de rotação, o esperar pelo melhor momento e depois o soltar de forma perfeita já com o transmontano isolado e enquadrado. E mesmo o passe que isola Pizzi, no primeiro golo do Jonas, muito, muito bom!

  4. Edson Arantes do Nascimento

    Foi um jogo giro mas não foi mais do que isso. Ainda há duas semanas perdemos 2-0 em casa com o Basileia e depois aviámos o Setúbal com seis batatas. E lá vamos nós a rir e a cantar, pudera, a esperança é sempre a última a cair. O Tondela não tem nem jogadores, nem colectivo (há equipas piores, ainda assim!) para arranhar o Benfica. Mau seria se com estas diferenças não ganhássemos nas calmas.

Deixar uma resposta

Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: