Análise, Metodologia EPU

A nossa sorte é que o futebol é imprevisível

Desde o início do ano temos vindo a aplicar uma metodologia, que tem em conta diversos fatores e pesos, que permite classificar os jogos do Benfica com um determinado grau de dificuldade de 0 a 20. Apesar de ser dos artigos menos vistos e partilhados, continuamos a fazê-lo pois também nos ajuda a compreender o contexto e os resultados infelizmente têm comprovado que existe alguma lógica por trás da metodologia.
Neste momento, a perspetiva não é nada animadora, uma vez que TODOS os jogos que o Benfica teve com um grau de dificuldade superior a 11 não ganhou.
MEPU à jornada 12
Em 12 jogos com um grau de dificuldade inferior a 11, o Benfica obteve 10 vitórias e 2 derrotas – Bessa e Basileia. Dois jogos atípicos em que a equipa esteve muito abaixo das expetativas e cujos resultados foram de todo inesperados.
Relativamente aos jogos com um grau de dificuldade superior a 11, foram 6 e obtivemos 2 empates e 4 derrotas.
Vem aí o jogo no Dragão e apesar de ainda não termos calculado o grau de dificuldade do jogo, como devem supor, será de certeza bastante superior a 11. Pela nossa metodologia, a vitória teria portanto uma probabilidade muito reduzida. No entanto, e graças a Eusébio, o futebol é tudo menos previsível.
Foi também por isto, que decidimos fazer este artigo agora. A partir deste momento, a nossa metodologia irá começar a falhar em todos os jogos com grau de dificuldade superior a 11, pois o Benfica ganhá-los-á todos até final da época, e acertará em 100% dos que tiverem grau de dificuldade inferior a 11 onde o SLB sairá sempre vitorioso. São estes pelo menos os nossos desejos e os vossos também certamente.
É tempo de virar a página e não há sítio melhor para o fazer do que o Estádio do atual primeiro classificado, pois esse lugar na tabela classificativa é nosso, é aí que queremos estar no final! E ai se vamos ter que fazer por isso!
 
 
 

3 Comments

  1. 12.º Jogador

    O futebol é até bastante previível, como acabas de demonstrar!

  2. Tomás

    Gostava que fizessem um post a explicar pormenorizadamente como chegaram a estas classificações EPU.
    Dizer que o Basileia está ao nível do Paços de Ferreira ou Maritimo parece-me abusivo, mas admito que possa estar enganado.
    Não obstante a isso, não deixa de ser interessante o post.

  3. Tomás,
    As competições são classificadas de forma individual, ou seja, apanhar um Basileia na Champions é o equivalente a apanhar um Paços de Ferreira na Liga. Os graus de exigência e concentração são diferentes. Talvez possa ser um dos aspetos a rever no futuro, mas por agora, foi assim que a MEPU foi criada.
    Quanto aos critérios, basta procurares nos posts da Categoria “Metodologia EPU” e tens lá explicados quais são.

Deixar uma resposta

Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: