Antes de cada jogo tentamos adivinhar quais serão as apostas de Rui Vitória. No entanto, raramente acabamos por expor quais seriam as nossas apostas relativamente à equipa inicial.
Desta vez, decidimos quebrar com o que tem sido feito e decidimos indicar qual seria o nosso 11 titular para o próximo jogo.
Na baliza Svilar pois é o único que ainda não provou que não está à altura da baliza do Benfica.
Na direita Douglas porque também o queremos ver.
No centro da defesa, Rúben Dias e Kalaica. Porque Luisão tem que descansar, Jardel está completamente fora dela e Lisandro já sabemos que não serve.
Na esquerda Eliseu (caso possa jogar) ou qualquer outra aposta que não Grimaldo. O espanhol serve mas tem que ser resguardado para outras núpcias; se por acaso jogasse neste jogo, estamos em crer que bastaria apenas o espanhol e um bando de casados para passar a eliminatória.
No meio campo, Chrien a médio defensivo porque o eslovaco tem qualidade e merece ter uma oportunidade para mostrar o que vale. Como o jogo não deverá ser muito defensivo, achamos que seria uma boa aposta ter um 6 mais construtor e com visão de jogo do que um mais defensivo.
À sua frente João Carvalho. O português que destila qualidade por todos os poros tem que jogar. À frente do português o croata que partilha do mesmo “defeito”. Com a vantagem de que qualquer um deles poderia jogar a 2º avançado, sendo uma das novas dinâmicas que se aproveitaria para introduzir. Tanto defensiva como ofensivamente, a permanente troca de funções entre um e outro (como já aconteceu com Pizzi e Krovinovic por exemplo).
Na esquerda Rafa sem barba. Com tanto talento que o extremo português tem, a falta de capacidade finalizadora só pode ser por causa do peso da barba… já alguém reparou que Rafa consegue aparecer tantas vezes sozinho frente ao GR como todos os outros elementos da equipa juntos? Há muito sumo bom para espremer em Rafa, basta conseguirem que a laranja amadureça e deixe de dar sumo azedo…
Na direito Diogo Gonçalves. Com ordem para ir trocando de flanco com Rafa, o já não tão jovem (20 anos) tem tudo para explodir e brilhar. Só precisa de jogar. Tal não tem acontecido porque a concorrência é de facto muito forte, mas este seria o jogo indicado para Diogo ganhar confiança e subir uns patamares na hierarquia da equipa.
Na frente, Seferovic. Para que o suíço possa subir novamente os níveis de confiança. Qualidades não lhe faltam e este poderá ser o jogo indicado para restabelecer a moral aos níveis do início da época.
Feito este exercício, resta explicar a principal premissa que esteve por detrás da escolha do 11: escolher jogadores que no futuro possam ser titulares na equipa do Benfica. Com exceção de Eliseu, todos os outros têm idade e condições para vir a ser titulares no Sport Lisboa e Benfica. Depois é pegar neste 11, adicionar Luisão, Almeida, Grimaldo, Fejsa, Pizzi, Zivkovic, Cervi, Jonas e Raúl e chegamos a um grupo de 20 jogadores prontos a rodarem entre si e assumirem as despesas para os principais compromissos desta época.
O futuro, para ser brilhante, tem que começar a ser escrito já amanhã!