Jovem Promessa

O ninho da águia

O Benfica tem vindo a destacar-se, ultimamente, como o clube que mais jogadores cede às seleções nacionais e isso tem sido importante tanto para comprovar a qualidade do produto made in Seixal como para nos deixar descansados quanto ao futuro do Sport Lisboa e Benfica.

Muito se tem falado em relação ao investimento ou não na formação, com chavões do tipo: “futuramente o Benfica entrará em campo com uma equipa made in Caixa Futebol Campus”, mas nós sabemos que isso será improvável, para não dizer impossível. Nem o Barça, nem outros clubes formadores o fazem. Entendemos nós que a combinação perfeita estará num misto de formação, scouting e experiência de clube. Mas os jogadores da formação que fazem parte do plantel, não podem ser apenas número, têm que ser aposta efetivamente, sem medos.

No viveiro Benfiquista no Seixal nascem algumas estrelas que nos vão deixando com água na boca tal é a qualidade que vêm demonstrando tanto na Youth League como na Liga Ledman. O destaque vai para a geração de 1999 que ultimamente fez parte de uma conquista de um europeu de sub 17 e fez um europeu de sub 19 com grande destaque a nível de Benfica, chegamos à final da Youth League e fizemos a melhor classificação de sempre do Benfica B. Miúdos que muitos deles ainda eram sub 18 foram muitas vezes titulares durante na Liga Ledman. Os principais nomes a destacar são:

Florentino Luís
É um médio recuperador com muita qualidade no passe. Percebe bem as zonas que deve ocupar em campo e sabe gerir os ritmos do jogo. Que continue a evolução e será jogador de seleção.

João Filipe “Jota”
É um mágico com a bola nos pés quer a extremo esquerdo quer do lado contrário, Jota tem sempre uma finta nova um truque novo em cada jogo. Necessita de em certos momentos ter mais objetividade no seu jogo sem que nunca perca aquela alegria no seu jogo.

Gedson
Talvez o mais preparado neste momento para dar o salto, joga em qualquer posição do meio campo e até pode jogar a extremo e lateral. Fisicamente muito forte, percebe bem o jogo, muito forte no transporte da bola e visão de jogo. Tem como uma das suas armas o seu remate forte.

Zé Gomes
O único que já se estreou a nível oficial no plantel principal, melhor jogador e marcador do europeu de sub 17 em 2016, foi destaque no site da UEFA e apareceu na equipa principal numa altura em que as lesões fustigavam o ataque do Benfica na época passada. Foi perdendo protagonismo aos poucos e uma lesão tirou-o das vozes do mundo. Voltou aos relvados à pouco tempo e espera-se agora que volte a ter destaque. Tem muito trabalho pela frente o Zé do Golo, se quiser voltar a ser decisivo.

João Félix
 Um “10” à antiga, respira qualidade técnica por todos os poros, joga de cabeça levantada sempre à procura de soluções. Foi o jogador mais novo a marcar um golo na Liga Ledman, não teve grandes dificuldades a adaptar-se ao futebol duro e aos campos da segunda liga portuguesa. Franzino e esguio, o médio natural de Viseu, tem mostrado também uma veia goleagora, aparecendo muitas vezes em zona de finalização.

 Nuno Santos
Pode jogar em todas as posições do ataque, muito potente e com capacidade para decidir. O empréstimo ao Belenenses na época passada foi importância, deu-lhe minutos e destaque no campeonato de júniores, hoje é destaque na equipa B encarnada tendo marcado 2 golos na estreia da equipa sub 19 na Youth League desta época.
Há outros nomes que serão destacados por nós nas próximas semanas, estejam atentos para saber quais as futuras pérolas do Glorioso.

3 Comments

  1. Diogo Santos

    O problema é cedermos jogadores às seleções jovens, porque à principal é muito raro.
    Agora, é preciso de facto existir uma aposta continuada nestes jovens, seja na equipa principal ou através de empréstimos a equipas da 1 liga, onde joguem com muita regularidade. Não é para termos João carvalho ou Diogo Gonçalves no banco sem jogar. Porque semjogar não evoluem, e depois todos os outros lhes passam à frente. De certeza que muitos fariam melhor figura que alguns que estão agora no plante principal.

  2. Justino Falatório

    É muito raro porque os jovens de 16, 17 e 18 anos não jogam na principal. São muito novo. Não?
    Mas porque raio é que eu perco tempo a responder a esta gente?

  3. Edson Arantes do Nascimento

    Gosto muito, hoje em dia só os palhaços (desculpem o palavreado mas não consigo conter) e os desonestos não reconhecem o caminho que se tem feito. O que mais me agrada nisto tudo é que andamos a escolher jogadores pelo perfil! Fantástico. As nossas equipas TODAS têm centrais que jogam com a bola no pé, não dão chutões na frente só porque sim, há uma ideia de jogo que prevalece (algo totalmente diferente de ter um modelo de jogo comum, que me parece uma parvoíce sem defesa possível). Ainda pode melhorar? Claro! Tem de mesmo melhorar sempre mas o que precisa de mudar radicalmente – ainda – são as mentalidades. Logo a começar pelos adeptos a acabar nos dirigentes borrados de medo de dar oportunidades aos miúdos. E medo porquê, porque têm medo de perder o emprego (e a cara) através da lógica resultadista levada ao extremo. Aqueles palhaços que se meteram na garagem a ofender jogadores são mesmo uns burros que nada mais têm a fazer. São doentes mentais que precisam de acompanhamento clínico-social e de ouvir menos o incontinente Rui Gomes da Silva – e amigos. Todos os que referiste são potencialmente muito bons, aprecio todos, mas tenho um amor especial pelo Félix. Curioso e digno de registo o facto de andarmos a pescar excelentes valores no FCP e no SCP. Hoje os miúdos querem jogar no Benfica, já não é no Sporting. Recordo que o Félix saiu do FCP porque jogava pouco e porque lhe diziam que tinha uma desvantagem devido aos fracos atributos físicos.

Deixar uma resposta

Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: