Análise, Transferências

Análise do plantel 2017-2018 – Avançados

Jonas, Seferovic, Raúl e Gabigol. Com João Carvalho a poder aparecer também a fazer de Jonas. 4 jogadores (+1) para duas posições.
Já aqui falámos algumas vezes de Jonas, mas de certeza que falaremos muitas mais. O brasileiro não foi só apenas mais um bom jogador que chegou ao campeonato português. Jonas é o jogador mais talentoso e com mais rendimento desde Deco. Vários foram os talentos que passaram por Portugal e não renderam o que o seu talento faria prever (Aimar por exemplo não o conseguiu fazer pelas lesões que teve) e outros que passaram por cá e apesar de não terem “o” talento conseguiram obter números impressionantes (Cardozo). Jonas tem o talento e em cada toque ou movimentação dentro de campo demonstra-o. Sabe e ensina que a equipa está acima de tudo e só jogando em equipa é que se conseguirão obter os resultados pretendidos. É por ele que passará em muito (ou não) o sucesso de uma época. Faz sempre o que o jogo lhe pede e consegue executar com uma classe só ao alcance dos predestinados.
Seferovic: máximo de golos numa época 11. Em 3 das últimas 4 épocas, 4 golos como registo. A sério que vamos contratar este coxo? O responsável por esta contratação sorriu e disse-nos para esperarmos. “Este é daqueles que não engana”, disse. Perguntei-me como é que tal seria possível…os registos eram maus demais mesmo para quem joga no Eintracht e na Real Sociedad. Primeiro jogo amigável na pré-época e elahhh, querem ver que o X tem razão? O homem é super inteligente e tanto joga em apoio como em rutura… vai ser o cabo dos trabalhos… ele e Jonas…e pronto, é o que se está a ver. O suíço com a variabilidade de movimentos que oferece é um verdadeiro canivete e permitiu ao Benfica modificar o seu estilo de jogo, passando a jogar com dois homens móveis, ao invés de um mais fixo na área; um pouco do que já fazia quando jogava Raúl, mas com uma dinâmica ainda maior. Raúl dava largura ao ataque do Benfica, Seferovic dá largura e profundidade; para além da sua capacidade matadora que é superior à do mexicano. Um achado!!
Raúl tem vindo a crescer dentro das ideias da equipa e atualmente consegue ser um complemento muito bom para Jonas. Sempre com a motivação a níveis muito elevados, entrar diretamente no 11 ou a partir do banco traz-lhe igual rendimento. Precisa de melhorar a finalização e tentar explorar mais vezes a profundidade na zona central nas costas da linha defensiva (à imagem do que faz Seferovic por exemplo). O atacante com maior capacidade de pressão (tem que aprender para ser a melhor no entanto) é um luxo para o Sport Lisboa e Benfica ter um atacante destes no banco. Quando entrar, continuará a marcar golos.
Gabigol veio porque Mitro quis sair para jogar o Mundial (caso se apurem), precisávamos de um jogador que não se importasse de ser 4ª opção e que caso seja necessário tenha qualidade para entrar no 11. Gabigol tem qualidade e preenche estes requisitos, sendo o tipo de avançado móvel que se encaixa neste jogar mais dinâmico da frente atacante do Sport Lisboa e Benfica. Se jogar, ou dá o salto de inteligência para que D’ArtaJonas e os 3 mosqueteiros (Pizzi, Seferovic e Cervi por agora) o aturem, ou então vai ficar com as orelhas a arder. Relembramos o início difícil de Mitro, por exemplo, em que Jonas o xingava cada vez que o grego pensava nele ao invés de pensar na equipa; aprendeu o grego quando viu o brasileiro isolado frente ao guarda-redes passar-lhe a bola para que este só tivesse que encostar. Claro que só aprendeu porque Jonas o tornou a xingar e a dizer-lhe “Estás a ver como é fácil??”

NOTA FINAL (0-10): 9 (nota 8 em 2016/2017)

 

6 Comments

  1. Rúben Pedro

    “Com João Carvalho a poder aparecer também a fazer de Jonas” Discordo. Penso que Krovinovic foi a solução para esta função.
    “jogador que não se importasse de ser 4ª opção”. Gabilgol não preenche este requisito, de caras…
    De resto muito boa análise. Cumps.

  2. Caro Rúben, é uma questão de tempo até vermos quem de nós tem razão 🙂 João Carvalho fez de Jonas na pré-época e com este plantel não percebo o que é que ficou a fazer na equipa do Benfica (a chegada de Gabigol tira-lhe quase todas as hipóteses de jogar e o homem tem é que jogar!). Krovinovic é 8 e é o substituto direto de Pizzi quando recuperar a forma. Deixa-o jogar uns minutos e vais perceber o quão bem encaixa na dinâmica do Benfica 🙂
    Gabigol vem emprestado e só veio para termos uma 4ª opção uma vez que Mitro acabou por sair. Não me parece que consiga passar à frente de Jonas, Seferovic e Raúl. Ou na tua opinião passa? Ou vamos descaí-lo para uma ala?

  3. Rúben Pedro

    Na minha opinião João Carvalho e Diogo Gonçalves deveriam ter sido emprestados para ganhar “mais músculo”, pelo menos mais um ano. Aliás, isso deve ter sido proposto a eles mas preferiram ficar mais um ano na B, ok compreendido.
    Em relação ao Krovinovic, e por ser o ultimo ano de Jonas no Benfica (julgo eu), este ano é para adaptar e entrosar Krovinovic para futuramente ser o possível falso Avançado. Craque não pode andar a gastar a maior parte da sua energia do jogo repartido do meio do campo. Ainda por cima tem boa meia distancia e sentido de golo e ultima passe.
    Em relação aos avançados, não será facil gerir por parte de Rui Vitória mas acredito no carisma dele. A minha prespetiva é que Gabriel Barbosa vais fazer-se notar tão ou mais que Seferovic e se isso se verificar Raul até pode sair no mercado de inverno (se as coisas estiverem a correr bem, atenção) Cumps.

  4. Caro Rúben, podes explicar estas duas expressões que não percebi sff?
    – para ganhar “mais músculo”;
    – Craque não pode andar a gastar a maior parte da sua energia do jogo repartido do meio do campo.
    Obrigado e abraço!

  5. Diogo Santos

    Na minha opinião acho o Raul ainda mais matador que o Seferovic. Dentro de área o Raul é muito, muito bom. Fora dela, perde claramente para Jonas e Seferovic. Não vou falar do Gabriel porque não o conheço. (Só do FM, mas isso é um simulador)

  6. Rúben Pedro

    Boas tardes Chalana, “ganhar músculo no sentido de somarem o máximo de minutos possíveis, jogando à partida num 11 base, prevejo que no Benfica dificilmente isso vai acontecer.
    Relativamente ao Krovi, penso que jogar a 8 num meio campo a 2 não potencia o que o jogador tem de melhor (acima já dei alguns exemplos). Acho melhor opção, por exemplo, jogar na ala como fazia Pizzi na época que Salvio esteve lesionado.

Deixar uma resposta

Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: