Análise, Transferências

Rescaldo do mercado de transferências – Análise dos Médios Defensivos

Mantém-se a dupla do ano passado: Fejsa e Samaris. A diferença entre os dois é muito grande, sendo que a equipa se ressente das constantes ausências do sérvio. O ano passado, Fejsa esteve muito melhor a nível de lesões, tendo conseguido atingir os 35 jogos (que não atingia desde 2008/2009).
Defensivamente, Fejsa é um monstro e o melhor a atuar em Portugal. Capacidade incrível de leitura do jogo, posicionamento impecável, capacidade de dobrar os companheiros, consegue quase sempre conduzir os adversários para onde quer…enfim, o sonho de qualquer treinador neste aspeto do jogo. Ofensivamente, bastante limitado, não se expõe ao que não sabe. Tem melhorado com o tempo, mas esta ainda continua a ser a sua maior lacuna.
Quanto ao grego, é uma boa opção para substituir Fejsa e um líder no balneário. Defensivamente creio que tem vindo a piorar com o tempo (muito mais impetuoso e a esquecer-se de princípios básicos – como impedir a progressão pelo meio ao invés das linhas, coberturas defensivas, etc.) e apesar de melhor tecnicamente com bola do que o sérvio, não tem feito a diferença nesse capítulo quando joga.
Na ausência destes 2, Filipe Augusto tem  assumido as despesas desta posição, mas tal apenas correrá bem em jogos em que o adversário se remeta a defender. Filipe Augusto tem-se esforçado por apreender muitos dos conceitos do pivot defensivo, mas esta continua a ser uma das posições mais críticas para o jogar do Benfica e não é fácil estar à altura das exigências. Saber quando dobrar um lateral ou ocupar a vaga do central que irá à bola, parar um contra-ataque com falta ou simplesmente encaminhar o adversário para a lateral, fazer contenção ou esperar, …as opções são tantas a cada instante que é muito difícil perceber rapidamente o que o jogar da equipa exige a cada momento. Filipe Augusto estará sempre mais próximo do 10 do que do 6, porque sempre jogou mais com bola do que sem.

NOTA FINAL (0-10): 8 (nota 8 em 2016/2017)

3 Comments

  1. Edson Arantes do Nascimento

    É por isso que eu acho que o Pepê já tem lugar… Ainda que perceba a ideia de o meterem a rodar noutro clube – desde que seja para ficar no plantel no próximo ano, caso contrário é puro desperdício. A que título o F. Augusto tem lugar no Benfica? Já sei que muita gente vai falar do Pepê e da intensidade e isto e aquilo e que tem de mostrar mais dentes. Mas para mim isto são puras balelas. O Samaris mostra os dentes a toda a hora e não é por isso que joga melhor ou pior (na realidade, essa atitude de querer bater e desarmar todos até o faz jogar pior).

  2. Concordo…tem que ser para jogar no próximo ano. Com a quantidade de lesões que Fejsa tem, os jogos que este estiver lesionado são mais do que suficientes para uma primeira época na equipa principal do Benfica (este ano faz sentido para ver se continua a progressão numa equipa da I Liga).

  3. Felizberto Augusto

    Aqui digo o mesmo que disse do João Carvalho. Pepe é bom jogador mas também o acho com pouco cabedal e intensidade de jogo que só se consegue jogando. Pode ser que o empréstimo lhe faça bem. Veremos.

Deixar uma resposta

Theme by Anders Norén

%d bloggers like this: